sexta-feira, 6 de março de 2009

O " 365" dum aluno do I.V. S.

De manhã manhãzinha Ouve-se a “ cabra” a tocar: Salta da tua caminha Vai-te depressa lavar ... A malta endiabrada Depressa se põe a pé, E muito bem penteada Lá vai tomar o café . Mudamos de edifício, Temos a ‘strada a transpôr, E cheios de artifícios P’ra levar o professor ... Uma tosse costumada, Duas lentes a brilhar, Eis a malta perfilada: Vai o “ Papá” a passar ... A ginástica é de estafar, No mapa até “ ele” sua; É de um tipo arrebentar P’ra contentar o “ charrua” ... Vamos p’ra Filosofia Temos o caldo entornado; Anda tudo em agonia Por causa do “ Floriado” ... Nas Matemáticas e nas Fisicas É o “ Meiguinho”e o “Taludo”, E nas Ciências Biológicas Temos o nosso “ Pançudo” ... P’rás linguas complicadas, É dificil o caminho: Há o “ Chico” às pedaladas E um “ Negro” que é branquinho ... Já são horas de almoçar, Que grande satisfação!... Toca depressa a formar Vamos comer o feijão . A paparoca acabada É de ver qual corre mais ... S’há carta da namorada Ou uma cartinha dos Pais ... Já se acabou o recreio, Põe-te depressa a andar, Já acabou o passeio, P’rás aulas, ‘stá a tocar ! Faz se barulho sem querer, Cautela, pois há sarilho; Cá em baixo, o “ Ranvier”, Lá em cima o “ Vira-Milho”.. Olha a pequena a passar, Lá vai o pequeno à espreita ... Mas vai logo interceptar A simpática Prefeita ... E para o latim danado É preciso muito zelo, Pois é à malta ensinado Por um que não tem cabelo ... Um automóvel de gritos Vem a acabar de chegar ... E eis os moços aflitos; O chumbo vai começar ! ... Na turma da pequenada Cheira a “ Bacalhau” assado ... Numa mais adiantada À “Romeu” motorizado ... A malta está afanada ... Apetece descansar ... Agor, é a espingarda, E vamos, toca a marchar ! ... E, depois da instrução, Que deve estar a acabar, Vem tudo em turbilhão, Lá vem a malta lanchar ... Lá se vai a alegria Num grito de arripiar; E a malta já nem pia Pois tocou a estudar ... Lidar com a Prefeitura É preciso muito jeito; Num, falta-lhe altura, O outro, nao é “ Perfeito” ... Durante a hora do estudo Tem de haver atenção, O Prefeito é carrancudo, Castiga sem coração ... Que alívio ao se ouvir A ordem deste acabar ! ... E agora é só subir, Vamos lá, então, jantar ! Depois duma passeata Vamos de novo estudar, Para depois, na camarata, O descanso começar ! Já soou a badalada, Ninguém mais pode falar ... Adeus, ó “ Cabra” malvada, ‘Té às seis do levantar ! ... De Carlos da Silva Neves Aluno nº 99 do 7º Ano de Ciências

4 comentários:

Sérgio Lopes disse...

Natércia, um tesouro de poema. Descreve em beleza o nosso dia no IVS e as pessoas que o enformam.

Outro namorico? Vamos, menina, abre-te connosco!

Natércia Martins disse...

Claro que não havia namorico.
Também é do jornal de 1953. Agradeço ao Galinha que me enviou a fotocópia toda há uns anos.

Sérgio Lopes disse...

E eu a fazer-me para ler um romance... Não acerto uma!

Acácio Leite disse...

Fantástico .Lindo . Este poema relata ,na perfeição , o nosso dia a dia no IVS .