quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Lembram-se do Carro e do Dono?

Ten. Mendes Nunes e o seu carro O meu pai tal como vocês o conheceram Pai sempre presente, nao só para os filhos como para os alunos que também eram os seus " filhos" Ou será que minto ?

6 comentários:

Sérgio Lopes disse...

O teu pai, Natércia, é das memórias mais vívidas que guardo dos 7 anos que estive no IVS. Dos alunos vindos do exterior talvez tivesse sido eu um dos mais privilegiados com uma atenção especial do Professor Ten. Mendes Nunes; digo uma atenção especial, por que comigo ele foi bem além da mera relação professor - aluno.

Sim, pode dizer sem receio de errar que, pelo menos para mim, ele aproximou-se muito da figura de um pai - que eu obviamente naquela idade formativa precisava ter -, uma vez que o meu pai vivia a 6 milhares de quilómetros de distância.

O carro era esse e deu-nos muitas ocasiões de diversão que o Ten. Mendes Nunes não nos sonegava. No fundo era a sua maneira adulta de “brincar” com os adolescentes. O curioso, é que o primeiro carro que comprei na Cidade do Cabo com dinheiro ganho por mim era assaz parecido com este; era um Prefect 1948, preto, com a mesma silhueta mas com o radiador mais saído. E tinha um problema: só subia a rampa que ia dar ao meu apartamento no bairro de Tamboerskloof de marcha atrás ahahah!

Acácio Leite disse...

Natércia

Do carro não me lembro . Agora do teu pai lembro-me perfeitamente. Era esta realmente a imagem que eu teria dele se não fosse um senão muito grande . Aonde é que está o cigarro , milimètricamente , a meio da boca que ele , religiosamente , segurava quer a tossir ( muito ) quer a falar ?

Não me lembro de o ter tido como professor mas tive-o , sempre , como amigo e sempre nutri por ele muito respeito

Natércia Martins disse...

Pois é O cigarro não estava com ele aqui. Esta foto foi tirada no dia do meu casamento em 1971, na igreja do Nesperal.
Pouco depois deixou de fumar devido a um "susto", mas guardou o maço de tabaco eo isqueiro, no bolso até morrer.

José Avelar disse...

Natércia

Julgo que me lembro do carro,mas tinha a impressão que era outro modelo(terá sido só este ou haverá outro?)
O´Natécia mas há uma coisa que falta na fotografia do teu Pai o cigarro e a samarra, desculpa mas eram duas coisas que a minha memória a associa ao teu Pai.Bem era o casamento está esclarecido

Sérgio Lopes disse...

O Zé Avelar está certo! O carro não era este. O António Mendes Nunes, filho do Ten. Mendes Nunes e irmão mais novo da Natérci, já me prometeu que vai colar a fotografia do carro verdadeiro.

Sérgio Lopes disse...

Ó Natércia, entregar neta a um fulano que não se conhece não é empresa fácil. Olha para expressão do teu pai... Eu sei, já entreguei duas.