sábado, 28 de fevereiro de 2009

Cernache político hoje

Vivemos lá em ditadura. Querem saber a tendência política das gentes de Cernache nas eleições de 2005? Aí vai:
Junta de Freguesia de Cernache do Bonjardim PS 833 votos 45,37% PPD/PSD 793 votos 43,19% CDS-PP 109 votos 5,94% BE 18 votos 0,98% PCP-PEV 7 votos 0,38%
E o Ranking das Escolas? Ranking Escolas (1)
Ranking das Escolas em 2005 Castelo Branco Posição do Distrito de Castelo Branco no total da País Todas as disciplinas 15º lugar (9,10 valores)Português 8º lugar (10,83 valores)Matemática 15º lugar (5,93 valores)Todas as disciplinas s/ matemática 14º lugar (9,92 valores) Dentro das 100 melhores escolas do país o distrito não tem qualquer escola
Dentro das 100 piores escolas do país o distrito tem 8 escolas (lugar 12, 17, 18, 25, 29, 52, 66 e 95)

3 comentários:

Acácio Leite disse...

Se não estou em erro o IVS foi a única instituiçao privada/particular de ensino em Portugal a fazer exames oficiais, embora o presidente de júri viesse do Liceu de Castelo Branco .

Alguém se lembra quem tentou roubar as provas co carro do presidente do Juri à porta da pensão ?

Era um Volkswagem e quando o presidente do júri chegou á porta do ginásio abriu o capot , levantou o pneu de socorro e tirou de lá o envelope lacrado com as provas.

Sérgio Lopes disse...

Estás absolutamente correcto, Acácio. Até cerca de 1956/57 os exames oficiais eram uma espécie de "jogo fora", tínhamos que ir "jogar" no campo "inimigo", em Castelo Branco.

Depois os exames passaram a ser feitos connosco a "jogar em casa", em Cernache, vindo o "árbitro" de fora.

Lembro-me da "cena" dos exames roubados, mas não me lembro do nome do "ladrão". Mas que ficou para a história, ficou, numa época em que essas coisas raramente se passavam.

Numa outra nota, engraçado era o Jorge Nogueira (Cantiflas) que num ano fez o 5.º ano de ciências e no ano seguinte o 5º ano de letras, por que precisava de média para entrar no INEF. No ano em que fez letras, andava com um livro de matemática ou geografia - não recordo com precisão -, debaixo do braço e no ano em que fez ciências andava com um livro de história debaixo do braço e recitava:

"No templo dos apostólos os homens era barbáros, trepavam aos arbóros para apanhar os passáros".

Isto são coisas que não se esquecem totalmente. Espero que o Jorge esteja a recuperar bem do enfarte. Era para lhe telefonar hoje, mas caiu um nevão e tive de dar a primazia à limpeza de "toneladas" de neve dos acessos à casa e à garagem, se quis sair para comprar uns mantimentos e levar a "teenager" ao namoro. As escolas encerraram por causa da neve e gelo, mas o namoro continuou aberto... Não há neve que o feche :) :) :)

192

Sérgio Lopes disse...

Em termos de notas o Marques Pedro foi o melhor aluno que conheci. Tinha uma memória auditiva excepcional, quase não precisava de estudar, passando o tempo a fazer exercícios de matemática. O que contas prof. Vasconcelos é verdade. Todavia – e creio que te vais recordar – dias antes dos exames do 7.º ano, andávamos a jogar uma partida de futebol entre turmas e num lance o Marques Pedro (pesadinho) chocou cabeça com cabeça com o Prior e ficou com amnésia parcial. Foi um sufoco para todos nós, que muito o estimávamos. Para concluir a história, no dia do exame de matemática o Marques Pedro estava quase recuperado, mas não totalmente. Mas lá fez o exame. Saiu-se muito, muito, muito, muito mal! Em vez da nota de 17 ou acima que esperava, levou com um humilhante 15! Pediu para ser chumbado e, como era regulamentar na época, solicitou nova prova para Setembro. E teve, creio, um 17.

Creio também que o Marques Pedro, conterrâneo do Alto-comissário da ONU para os Refugiados António Guterrez, foi dos primeiros portugueses a formar-se em engenharia nuclear. Nunca mais sou dele.