sexta-feira, 22 de maio de 2009

Ainda sozinho na luta pela libertação da mulher

Continuava a correr o ano de 1957 e eu (Sérgio), sozinho a arrostar com a incompreensão do mundo inteiro, cada vez mais empenhado na obra da libertação da mulher.  Do meu lado esquerdo a Cesaltina, do lado direito não me recordo do nome, mas recordo bem que era "boa" todos os dias e não era colega do IVS...  E ainda recordo que a julgar pelo par de pulmões robustos a menina cujo nome não recordo poderia muito bem ter seguido uma carreira de sucesso de cantora de ópera...
Continuo à espera de uma palavra de agradecimento da geração masculina seguinte...
P.S. A Natércia não está na foto, porque as mais matolonas tinham-na posto a apanhar rings no túnel de acesso à fonte...

7 comentários:

Natércia Martins disse...

Pois !!!!! Despachavam-me em grande velocidade !!!!! Eu era mais nova Os rapazes nem olhavam para mim. Apagadita e sossegadita !!

Sérgio Lopes disse...

'tadinha da pobre infeliz! Ó mulher, tu estavam a crescer ainda, portanto nada disto tem a ver com seres "apagadinha", que não eras, nem "sossegadita", que também não eras... E o pai que o dissesse que te tinha ali bem amarradinha. Isto tem a ver com o espaço temporal em que cresceste. Eras mais nova e ser mais nova naquela época fazia uma diferença muito grande, que apenas duas ou três gerações mais adiante já não fazia.

E nota bem, nessas fotos só há um rapaz, eu, a "desbravar" caminho para os vindouros mal agradecidos ahahahah

Natércia Martins disse...

E desbravaste bem E de que forma !!!!!

Joao Facha disse...

Só entre tantas,cheira-me,a que pelo menos elas,não sentiam perigo!!!!!
A Cesaltina que diga se estou enganado,ou talvez baste a Natércia.

Sérgio Lopes disse...

Olha, olha, o João a mandar a sua boca. Tens é ciúmes e continuas a não agradecer o que fiz por vocês...

Naturalmente, que as meninas - e mais importante, as mães - tinham plena confiança no jovem cavalheiro que ali se estava a formar. nada de túneis, tudo a céu aberto... Bom, quase aberto, que a floresta do Ramalhal - que hoje pertence ao Zé Leitão -, era muito fechada.

Natércia Martins disse...

Essa dos túneis é comigo ?. O Sérgio está enganado na personagem !!!!

Sérgio Lopes disse...

Ó Menina, era lá contigo... Só quem andava pelo túnel se pode sentir, quem não andava sabe melhor ahahahahah