quinta-feira, 10 de junho de 2010

Memórias do José Melo

Do José Melo recebi este e-mail
Date: 6/9/2010 3:31:19 PM
Subject: Fwd: Alguma fotos do ano de 1961
Boa tarde,
Aqui vão algumas fotos da minha curta passagem pelo IVS.
Foram.por razões alheias alheias ao Instituto, tempos não muito fáceis. A vida é feita deles e dos outros, isto é dos BONS.
No entanto ainda me lembro do Capitão Mendes Nunes, das suas aulas de matemática e dos cigarros CT que pendurava uns atrás intercalados por frequentes ataques de tosse.
Acabei sendo expulso.
Recordo com muita saudade o Ten. Paiva, homem duro mas justo. Outros tempos.
Nunca privei com os amigos que aí fiz. A maldita guerra colonial matou-"nos" a uns menos e a outros TUDO. Sobrevivemos.
Seu,
JFM
Caro José,
É uma enorme alegria receber-te no nosso blogue. Sê bem-vindo. Publico a primeira das 3 fotos que enviaste, onde por acaso penso reconhecer dois dos antigos colegas. O primeiro à esquerda rece ser o Quim da Nazaré; O destacado entre o do chapéu branco e o gorro conheço-o, mas não recordo o nome. Está aí algures numa foto no ringue de patinagem, também com o Quim e outros.
Vamos ver se outros membros reconhecem mais alguém. Vamos Natércia e AntónioMN!
José, estou a mandar-te o convite para te registares no blogue. O registo é com este teu endereço e-mail e a password que usas para abri-lo.
Saudações IVS
Sérgio 192
Decido colar na página da foto o comentário do José Melo:
A “ESTÓRIA DESTA FOTO” Esta foto foi tirada num dia em que o Académico de Viseu visitava o Desportivo de Cernache. A rivalidade entre os dois clubes era na altura imensa. Já antes numa altura em que aí fiz “uma perninha de bom comportamento”, os forasteiros haviam sido “brindados” por uma valente dose de pedrada no autocarro já fora da vila mas…”em jeito de saudações de boas… idas”. Por quem? Por um grupinho “anónimo” de estudantes do IVS. O anonimato de pouco nos valeu porque fomos na altura da façanha muitos - entre eles eu - os castigados. Nestas coisas eu fazia sempre questão de não faltar. Como não faltei ao enterro da pastelaria do Vítor, onde depois de nos terem atirado de uma janela “líquido orgânico” lá tivemos que partir umas coisitas. Noto que desta vez não fiz nada, mas, como era freguês assíduo destas andanças…Zás uns dias sem sair! Organizamos imensas “malfeitorias”: assaltos á dispensa do Instituto, partidas aos professores que habitavam connosco, e muitas, muitas cenas de pancadaria entre nós… Prosseguindo… Na segunda volta do campeonato e temendo mais desacatos que, diga-se, já estavam a ser (bem) organizados, foram-nos trocadas as voltas: Tudo em “pic-nic” para a serra há hora do jogo! Nesta foto posso reconhecer alguns nomes que o tempo não apagou: O Manelinho Vaz Serra – o mais gordinho de todos nós. O Breda Marques de óculos escuros em ultimo plano. No penúltimo do lado esquerdo da foto, vestindo um casaco “civil” está… O Firmino meu companheiro de tropelias - e tantas foram Logo na sua frente…. O Luzia outro que aprontava e bem conjunta e inseparavelmente comigo e o Cunha Porto. Posso ainda reconhecer o Rodeia, o Martins – primo do Galamba – que está numa outra foto que enviei. Vêem-se os irmãos Conim. Pode-se apreciar a parecença. O Galamba ainda o vi algumas vezes aqui em Lisboa… O de gorro tinha a alcunha de alemão e creio que se chamava Holfman. O de chapéu era o Cabrita (?). Estão Zé João, não vejo o Narciso de Ponte Sôr, nem o Quintas Ribeiro de Barroselas, mas vejo o Branco á esquerda de pólo listado na horizontal. Faltam o Guerra de Castelo Branco o Daniel De Timor, o Teodomiro de Moçambique, O Zé Artur de Aveiro, e o inenarrável Taradinho… No meu tempo o IVS tinha o internato e as aulas, dadas num edifício próximo do campo de futebol, eram compartilhadas com alunos externos e eu que vinha dos liceus de Lisboa fiquei admirado por serem mistas. Havia uma Helena que não recordo o apelido que na altura fazia muito sucesso, lembro-me da Idalina Gestosa -era cá uma refilona !- tinha um irmão de nome Nuno (?) e da minha amiga Marília Paiva.. Enfim… Um dia voltarei a falar desses tempos. Haja disposição e a amabilidade deste espaço.

4 comentários:

Antonio Garcez disse...

José Melo, benvindo
Reconheço muitas caras na foto que enviaste ao Sérgio, a maior parte não me recordo dos nomes mas ainda reconheço o Manuel Vaz Serra, o Piricas, o Papa Chouriço (Ant. Antunes)hoje Major Antunes da BT.
Um grande abraço para todos.

JFM disse...

Mais tarde hei-de escrever algo mais sobre esta foto. Um fraternal abraço....

JFM disse...

A “ESTÓRIA DESTA FOTO”
Esta foto foi tirada num dia em que o Académico de Viseu visitava o Desportivo de Cernache. A rivalidade entre os dois clubes era na altura imensa.
Já antes numa altura em que aí fiz “uma perninha de bom comportamento”, os forasteiros haviam sido “brindados” por uma valente dose de pedrada no autocarro já fora da vila mas…”em jeito de saudações de boas… idas”. Por quem? Por um grupinho “anónimo” de estudantes do IVS. O anonimato de pouco nos valeu porque fomos na altura da façanha muitos - entre eles eu - os castigados. Nestas coisas eu fazia sempre questão de não faltar. Como não faltei ao enterro da pastelaria do Vítor, onde depois de nos terem atirado de uma janela “líquido orgânico” lá tivemos que partir umas coisitas. Noto que desta vez não fiz nada, mas, como era freguês assíduo destas andanças…Zás uns dias sem sair! Organizamos imensas “malfeitorias”: assaltos á dispensa do Instituto, partidas aos professores que habitavam connosco, e muitas, muitas cenas de pancadaria entre nós…
Prosseguindo…
Na segunda volta do campeonato e temendo mais desacatos que, diga-se, já estavam a ser (bem) organizados, foram-nos trocadas as voltas: Tudo em “pic-nic” para a serra há hora do jogo!
Nesta foto posso reconhecer alguns nomes que o tempo não apagou:
O Manelinho Vaz Serra – o mais gordinho de todos nós.
O Breda Marques de óculos escuros em ultimo plano. No penúltimo do lado esquerdo da foto, vestindo um casaco “civil” está…
O Firmino meu companheiro de tropelias - e tantas foram
Logo na sua frente….
O Luzia outro que aprontava e bem conjunta e inseparavelmente comigo e o Cunha Porto.
Posso ainda reconhecer o Rodeia, o Martins – primo do Galamba – que está numa outra foto que enviei. Vêem-se os irmãos Conim. Pode-se apreciar a parecença. O Galamba ainda o vi algumas vezes aqui em Lisboa…
O de gorro tinha a alcunha de alemão e creio que se chamava Holfman. O de chapéu era o Cabrita (?). Estão Zé João, não vejo o Narciso de Ponte Sôr, nem o Quintas Ribeiro de Barroselas, mas vejo o Branco á esquerda de pólo listado na horizontal. Faltam o Guerra de Castelo Branco o Daniel De Timor, o Teodomiro de Moçambique, O Zé Artur de Aveiro, e o inenarrável Taradinho…
No meu tempo o IVS tinha o internato e as aulas, dadas num edifício próximo do campo de futebol, eram compartilhadas com alunos externos e eu que vinha dos liceus de Lisboa fiquei admirado por serem mistas. Havia uma Helena que não recordo o apelido que na altura fazia muito sucesso, lembro-me da Idalina Gestosa -era cá uma refilona !- tinha um irmão de nome Nuno (?) e da minha amiga Marília Paiva.. Enfim…
Um dia voltarei a falar desses tempos. Haja disposição e a amabilidade deste espaço.

Sérgio Lopes disse...

Meu caro José,
Esta tua entrada, foi uma entrada triunfal no nosso blogue, com uma história deliciosa, cheia de pormenores. Obrigado.
Agora que relembraste os nomes de alguns dos “figurantes”, recordo uma boa parte deles. Eram mais putos que eu, mas um punhado deles já andava no IVS quando eu saí. Estão nesse caso o Manuel Vaz Serra, Cunha Porto, Martins, Daniel (ainda foi meu companheiro na gloriosa equipa de futebol, era o guarda-redes), Alemão, etc..

Vou agora publicar a 2º foto e espero o teu comentário.

Grande abraço.

Saudações IVS