terça-feira, 6 de outubro de 2009

Mas isto é o da Joana?

O Quartel de Campo de Ourique, à Rua Ferreira Borges, foi fundado em 1762, nos tempos do Marquês de Pombal e foi mudando de designação conforme os regimentos que o ocuparam. Começou por ser de Minas e depois passou para Infantaria. No final da I Guerra Mundial passou a ser de Sapadores de Caminho de Ferro e hoje é a Escola do Serviço de Saúde Militar. Na década de 1960 e 1970 por lá passaram muitos nomes sonantes da rádio e da televisão, pois era aí que estavam adidos os militares dos Serviços Cartográficos do Exército. A “fauna” era muita e diversificada, mas muito pouco militar, com músicos, apresentadores de televisão, jovens realizadores de cinema e jornalistas em início de carreira, a não levarem aquilo muito a sério, com visitas “proibidas” pela noite dentro e boas mesas de póquer na sala do oficial de dia. Parece que era sina do quartel, já foi nele que nasceu um dos ditos que bem caracteriza a bagunça nacional. No século XIX , um dos comandantes tinha uma criada chamada Joana, com influências que moviam montanhas. Quando alguém queria qualquer coisa não metia empenho nem ao comandante, nem aos oficiais, mas sim à dita Srª Joana, que a seu bel-prazer fazia nomeações, trocas, punia, transferia e despachava. De tal modo era a sua influência que o povo passou a chamar-lhe o Regimento da Joana… e a interrogar qualquer interlocutor menos dado à ordem e à disciplina com a sacramental frase: “Mas tu pensas que isto é o da Joana?”.

António Mendes Nunes - Jornalista Publicado no jornal i em 7 de Outubro de 2009

AntonioMN

4 comentários:

Natércia Martins disse...

A história é " gira" e na verdade
estamos no tempo do " da Joana" ou " tudo ao molho e fé em Deus "

Sérgio Lopes disse...

Olá António! Reeditei.

Abraço

Sérgio (IVS 192)

AntonioMN disse...

Obrigado Sérgio!Assim fica muito melhor.

Sérgio Lopes disse...

"You are welcome", António!