domingo, 19 de julho de 2009

Do blogue irmão - ERO

Mais uma vez o blogue irmão ERO nos brinda via e-mail com este lindo escrito que aqui colo com muito gosto:

HOTEL CALIFORNIA

ou
Uma Roulotte em Caldas da Rainha,
por Fátima Clérigo
.
. Em primeiro lugar gostaria de agradecer ao JJ o convite para escrever um texto neste blog, a quem desde já envio um cumprimento especial pela vasta cultura musical, pela singularidade evidenciada nos relatos que produz e pelos excelentes dotes de repórter e de comunicador.
. Em segundo, é um privilégio e uma honra poder aceder a um "mundo" muito especial. Já conhecia o blog que traduz um espírito de amizade sincera e de nostalgia que parece unir os ex-alunos do ERO. Parece-me igualmente tratar-se de um conjunto de Pessoas muito interessante, em que as capacidades são diversas e o talento sente-se...
. Não sou Caldense, mas se fosse...como gostaria de ter pertencido ao ERO ! Tenho aí uma grande Amiga - a Emiliana.
. No entanto, desde muito pequenina que as minhas férias me ligam às Caldas e à Foz do Arelho – uma das praias da minha infância – a que mais destaco.
. Em terceiro, cá vai a minha história…
. Tinha dezasseis anos e, precisamente no mês de Julho “embarquei” numa aventura com 3 amigas… 2 semanas de férias nas Caldas da Rainha. Ficámos no ex Parque de Campismo da Orbitur numa espaçosa e acolhedora roulotte, a que desde logo apelidámos de “Nosso Hotel”.
. A excitação era imensa e os preparativos por si só, deixavam antever uma experiência inolvidável… Recordo que tinha uma vasta colecção de saias coloridas, algumas acabadas apressadamente, momentos antes de partirmos, confeccionadas por uma talentosa costureira considerada “muito à frente” para o seu tempo e que ficaram na história destas férias…diariamente disputadas entre as 4 amigas. Completava o décor outra colecção de sabrinas, cujas aplicações foram por mim elaboradas por forma a torná-las o mais versáteis possível, desde laços a botões forrados a tecido, aplicações metálicas…enfim…meia dúzia de sabrinas multiplicavam-se em outras tantas, parecendo sempre novas…
. Escusado será dizer que com tanta “encenação”, ao 2º dia de estadia já tínhamos alguns “amigos” a “gravitar” à nossa volta. Iniciámos então a nossa incursão pela cidade e a “noite” passou a ter um lugar de destaque nos nossos dias, sendo a discoteca “Queens” e o “ Ferro Velho” os locais de eleição das 4 amigas e de outros tantos “amigos”.
. E é aqui que entra a minha música…a que guardo numa das minhas gavetas das recordações e que me liga às Caldas – “Hotel California” dos Eagles.
(Clica para ouvir) Hotel Calfornia dos Eagles
Em noites de discoteca, recordo como momento mais aguardado, o dos “slows”,e os acordes das violas e o timbre peculiar da voz do vocalista, presentes nesta música, colocavam em riste o mais obediente dos cabelinhos (que me perdoe o JJ se proferi alguma atrocidade musical). E assim, no início dos “slows” os pares “faziam-se à pista” e “dançavam”, praticamente sem sair do mesmo sítio… Recordo que “ do meu metro e meio”, a que se juntavam apenas alguns solidários centímetros, me esforçava diariamente para alcançar os cerca de 20 centímetros a mais do “meu par”…Por altura dos ditos “slows” o meu pobre nariz embatia no seu peito, impregnado de “Old Spice”, esbracejando aflito, clamando oxigenação – valeu-me a apneia treinada diariamente nas águas da Foz do Arelho…ou hoje não estaria aqui para contar a história…
. Para concluir, esta aventura não se ficou por esta música, mas quando ainda há pouco a ouvi de novo, é de facto a que me traz à memória o aroma das árvores do Parque de Campismo, o canto dos pássaros ao acordar e por vezes ao deitar, e o entediante “Old Spice” (memória que refuto de bom grado, porque nunca mais tolerei o aroma) e bem ,os cabelinhos continuam obedientes, isto é, o efeito da música mantém-se, (agora que abri a “tampa do alçapão”)…como que a querer dizer “Welcome to Caldas da Rainha, Such a lovely place…Such a lovely place…”
. Bem, o que é certo é que contrariei a máxima de que “Nunca voltes ao local onde um dia foste feliz.” e, desde há 21, anos voltei às Caldas da Rainha para iniciar a minha vida profissional e para residir.
. Um beijinho a todos e um voto de que mantenham essa união...tão rara nos dias de hoje.
.
Fátima Clérigo

2 comentários:

Natércia Martins disse...

Sou do mesmo tempo, provavelmente mais velha e menos vivida.
No entanto também transformei sabrinas e " bailei" ao som de velhas músicas aqui referida
Não fui à discoteca, nem fiz campismo que me ficasse assim na memória. Os tempos eram outros.
Que a amizade que une os intervenientes deste blog é inegável. Encontrámo-nos aqui pessoas que não vemos há 50 anos. É possível ? Claro que sim !
E é com estas novas tecnologias, e outras que aí virão que o Mundo cada vez se torna mais pequeno, para assim podermos " matar saudades".
Aqui vai o meu agradecimento pela parte que me toca, porque sou assidua no blog do IVS.

Sérgio Lopes disse...

Há elos de amizade muito fortes entre o Externato Ramalho Ortigão das Caldas da Rainha e o Instituto Vaz Serra de Cernache do Bonjardim. E também muita saudade de tempos idos.

Pelo menos dois dos antigos alunos do IVS passaram primeiro pelo Ramalho Ortigão, de seus nomes Tony Vieira Pereira e José Avelar, ambos das Caldas da Rainha.

Quis o destino que o saudoso Tony Vieira Pereira e eu nos viéssemos a cruzar profissionalmente na segunda metade dos anos 80 e primeira metade dos anos 90 no Brasil, ele como director-geral da Promoção do Turismo de Portugal e eu como director-geral da TAP para a América do Sul (ver http://institutovazserra-antigosalunos.blogspot.com/search?q=tony+vieira+pereira).

E também quis o destino, com um empurrãozinho da NET que reencontrássemos o José Avelar depois de meio século sem nada sabermos dele.

Uma amizade que transcende as tardes de rivalidade e confronto das respectivas equipas de futebol.

No JJ, sempre presente no blogue ERO, deposito um abraço de muita amizade dos Antigos Alunos do IVS aos Antigos Alunos do ERO.

Sérgio (IVS 192)